5 adolescentes que valorizam antes de tudo a amizade, aquela que nos uniu e nos fez criar um blog. Apenas estudantes que não querem mais nada do que dividir aquilo que pensa e acredita com você.

Mascote

Mascote
O nosso Mascotinho 2010

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Só pra desestressar

Heey, pessoas - se ainda houver alguma aqui. Eu queria que alguém lesse isso aqui e comentasse SINCERAMENTE o que acha.
Detalhe: não tem nada a ver com a minha realidade ;*

 "Eu sabia que aquilo era loucura. Mas nada me fez sair dali.
O braço dele me envolvendo num abraço apertado. O corpo dele junto ao meu como se fosse sempre assim. As caricias dele como se sempre tivesse sido assim.
Naquele momento nada mais me importava, a não ser que eu estava ali, deitada junto dele no meio da grama – que por sinal estava cheia de insetos nojentos, mas como já disse, nada mais me importava.
Eu sabia que ao amanhecer tudo iria acabar. Que seria só por uma noite. E que quanto mais tempo eu passasse ali com ele, seria pior para mim. Seria eu quem sairia machucada, sofrendo. Mas nada disso me fez querer sair dali.
Ele me beijava como se estivesse loucamente apaixonado. Como se eu fosse tudo o que ele queria. Pena que não era isso que ele demonstrava durante o dia. Ou melhor, durante todos esses anos.
Ele sempre foi do tipo de garoto que tinha a garota que quisesse, sem esforço. É claro, que ele nunca me quis. Eu não era a mais bonita. Nem a mais inteligente. E nem aquela que todas invejavam. Eu era mais uma garota na multidão. E agora isso?
Enquanto brincava com meu cabelo, eu pensava. Pensava no porquê de tudo aquilo. Porque ele tinha que fazer aquele jogo comigo. E como eu podia deixar que ele brincasse comigo daquele jeito.
De repente, mergulhada em meus pensamentos, ele me deixa toda arrepiada. Com um beijo quente e tentador. O melhor beijo que já recebi – eu sei, nunca recebi muitos beijos assim, o que não vem ao caso. Ele foi carinhoso. E ao mesmo tempo, suas mãos mergulhavam em meu cabelo e parecia nunca mais quererem soltar.
Não demorou, entretanto, não acabou rápido demais. Foi o tempo perfeito. O tempo perfeito para me entregar.
Se eu já não queria ir embora antes, depois daquele momento, o mundo podia acabar e se ele ficasse ali, como eu imaginei que ficaria, eu é que não iria sair!!
E foi assim. O resto da noite foi perfeito. Conversamos quase nada. O silêncio foi mais do que apenas silêncio. Parecia que nós podíamos conversar por entre olhares..."


Então, é isso. Até a próxima. Bejoo!

3 comentários:

~~*Hillary*~~ disse...

Eu hein... Texto louco... Como sempre, nao entendi nada! :P

Anônimo disse...

adorei. *--*

laura disse...

bem lgl :)